Anos 2000 - A Modernidade

    O novo milênio da MPB permanece uma continuação do período anterior. A MPB tradicional permanece longe das paradas de sucesso, que são monopolizadas por nomes promovidos pelas gravadoras. As cantoras de maior sucesso dos anos 2000 são Ivete Sangalo e Ana Carolina. A gravadora Trama, de João Marcelo Bôscoli, filho de Elis Regina e Ronaldo Bôscoli projeta trabalhos autorais de novos artistas pertencentes ao seu elenco, como Max de Castro, Wilson Simoninha, Jair Oliveira, Luciana Mello, Otto, Pedro Mariano e Fernanda Porto, esta a principal figura do Drum'n'Bass no Brasil.
    Outra figura de notabilidade à chegar ao estrelato foi a cantora Maria Rita, filha de Elis Regina e César Camargo Mariano, que com um timbre de voz visivelmente semelhante ao da mãe, considerada por muitos a melhor cantora brasileira de todos os tempos, conquistou público e crítica, chegando ao disco de ouro com uma semana de vendas de seu primeiro CD.
    Outra boa surpresa é a cantora baiana Pitty, que fazendo rock pesado conquista o público jovem esbajando talento e grandes vendas, além de prestígio entre os veteranos do gênero, como Rita Lee e Freját.
    Em 2000, Bebel Gilberto, filha de João Gilberto e Miúcha grava o disco "Tanto Tempo" no EUA, deslanchando sua carreira iniciada ainda na década de 80, e se tornando rapidamente uma das cantoras brasileiras de maior popularidade no exterior.
    Os anos 2000 ocasionam um novo boom de cantoras interessantes. Pela ordem de aparecimento podem ser destacados os nomes de Paula Lima, Teresa Cristina, Vanessa da Mata, Fabiana Cozza, Roberta Sá, Céu, Mariana Aydar, Ana Cañas e Marina de La Riva. Os anos 2000 cristalizam definitivamente a tendência dos artistas de MPB em trilharem caminhos à margem do grande mercado, sendo que dessas cantoras, a única a atingir o grande público é a mato-grossense Vanessa da Mata.