1917 a 1929 - Chega a Gravação Elétrica

    O período que vai de 1917 a 1929 corresponde à transição entre a música produzida no século XIX, que foi registrada em disco durante todo o período anterior, e a Era de Ouro do Rádio. Nesse período a Música Brasileira se moderniza e se sedimentam novos gêneros musicais. Os acontecimentos mais importantes são o surgimento do samba e da marchinha de carnaval, que viriam a ser os dois gêneros mais gravados no Basil até a década de 50. O compositor mais importante desse período é Sinhô, sistematizador do samba, responsável pela criação de alguns clássicos da MPB, como o samba "Jura". Entre outros compositores importantes revelados no período, cabe citar Zequinha de Abreu, Pixinguinha e Marcelo Tupinambá. É durante a década de 20 que vão começar a surgir as primeiras cantoras profissionais de sucesso do país, sendo que a primeira delas, Araci Cortes, seguia a tradição de suas antecessoras, pois também atuava como atriz no Teatro de Revista. Porém Araci foi mais longe, fazendo gravações regulares e se tornando a cantora pioneira do Brasil, a primeira grande influência das cantoras brasileiras, tendo sido determinante na formação de estrelas que vieram na geração imediatamente posterior, como Carmen Miranda e Odette Amaral. Outras cantoras de   destaque no período foram Zaíra de Oliveira, que mesmo não alcançando a popularidade de Araci, foi considerada uma das grandes vozes da época, e Otília Amorim, igualmente estrela do Teatro, mas que só fez suas primeiras gravações a partir de 1930. Entre os homens, se destacaram Francisco Alves, Vicente Celestino, Paraguassú, Fernando, Patrício Teixeira, Pedro Celestino, Gastão Formenti e Mário Reis. Em 1927 chega ao Brasil o sistema eletromagnético de gravação de som, que substituiria o arcaico sistema mecânico. Com a chegada do microfone e da gravação elétrica, a gravação da voz se tornou mais fácil, possibilitando um melhor aproveitamento do potencial dos artistas que começaram a surgir a partir de então. Com a revolução da gravação elétrica, cresce o número de compradores de disco, o que viria também a ser decisivo no aproveitamento de toda uma geração de artistas que começava a se projetar. Ainda na década de 20, chegam ao país o rádio e o cinema falado, os dois principais sustentáculos da Era de Ouro, que iria começar em seguida.