ZAÍRA DE OLIVEIRA
1891, Rio de Janeiro  - 15/8/1952 
FOTOS


    Soprano, Zaíra de Oliveira teve formação clássica, tendo cursado canto lírico no Instituto Nacional de Música, atual Escola Nacional de Música, mas também cantou música popular. Em dezembro de 1921 participou de um concurso realizado na escola de música, onde recebeu o primeiro lugar, porém não lhe foi concedido o prêmio, que consistia numa viagem à Europa, na afirmativa de muitos pelo fato de ser negra. Numa época em que ainda não existia a lei Afonso Arinos, a cantora não se abalou, pois somente a alta distinção conquistada no mais importante órgão oficial de ensino artístico da capital do Brasil lhe daria motivo justo de orgulho. Em 1924 gravou seu primeiro disco, dois foxtrotes: "Tudo à la garçonne", de Pedro Sá Pereira e "La monteria", de J. Guerrero. Em 1925 participou de festivais artísticos, dos quais o do Teatro Municipal de Niterói, onde cantou "Tosca", de Puccini, "Berceuse", de Alberto Nepomuceno e "Schiavo", de Carlos Gomes, além de "A despedida" e "Cantiga praiana" de Eduardo Souto, com letras de Bastos Tigre e Vicente Carvalho, respectivamente. Apresentou-se também no Cassino Copacabana Palace ao lado de Catulo da Paixão Cearense e Gastão Formenti. Nesse ano gravou a marcha "Quando me lembro" (Eduardo Souto e João da Praia), em dueto com o cantor Bahiano, que fez sucesso. No entanto seu maior êxito foi a marcha carnavalesca "Dondoca" (José Francisco de Freitas), em 1927, ao lado de J. Gomes Filho. No início da década de 30, passou a se apresentar na Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, acompanhada pelo regional de Canhoto. Em 1932 casou-se com o violonista e compositor Donga (Ernesto Joaquim Maria dos Santos) e tiveram uma filha, Lígia. Zaíra cantou ainda em vários coros de igrejas. Em seu livro "Não acuso nem me perdoo", o embaixador Paschoal Carlos Magno considerava-a uma das maiores cantores negras do mundo.

DISCOGRAFIA

1924 - 78 RPM (Odeon 122.768)
1. Cabeleira A La Garçone (Américo F. Guimarães / Pedro de Sá Pereira) 
1924 - 78 RPM (Odeon 122.769)
1. La Monteria (J. Guerrero)
1924 - 78 RPM (Odeon 122.770)
1. Choroso
1924 - 78 RPM (Odeon 122.771)
1. Cantiga (Eduardo Souto)
1924 - 78 RPM (Odeon 122.772)
1. Amargura (Eduardo Souto)
1924 - 78 RPM (Odeon 122.773)
1. Guitarrada (Eduardo Souto)
1926 - 78 RPM (Odeon 122.784)
1. O Jeitinho Dela
1926 - 78 RPM (Odeon 122.785)
1. Sorrisos
1926 - 78 RPM (Odeon 122.798)
1. O Teu Olhar - com Bahiano
1926 - 78 RPM (Odeon 122.799)
1. Eu Só Quero É Conhecer (Eduardo Souto) - com Bahiano
1926 - 78 RPM (Odeon 122.800)
1. Quando Me Lembro (João da Praia / Eduardo Souto) - com Bahiano
1926 - 78 RPM (Odeon 122.801)
1. Que Tem Tem - com Bahiano
1926 - 78 RPM (Odeon 122.802)
1. Caboclo Véio (Eduardo Souto) - com Bahiano
1926 - 78 RPM (Odeon 122.803)
1. Um Caso Sério (Eduardo Souto) - com Bahiano
1926 - 78 RPM (Odeon 122.804)
1. Cale A Boca - com Bahiano
1926 - 78 RPM (Odeon 122.805)
1. Seu Cabral Gostou - com Bahiano 
1927 - 78 RPM (Odeon 123.250)
1. Dondoca (J. Francisco De Freitas) - com J. Gomes Jr.
SD - 78 RPM (Odeon 10.791)
1. Meu Mulato (João de Barro / Julio Casado) - Ita Caiubi
2. Carteira Vazia (Zaíra de Oliveira) - Zaíra de Oliveira
JAN/1931 - 78 RPM (Parlophon 13.279)
1. É Preciso Fingir (Gentil Torres / Osvaldo Santiago) 
2. Pode Bater (Osvaldo Santiago / Luperce Miranda)
JUL/1931 - 78 RPM (Parlophon 13.323)
1. Solange (Antônio de Amorim Diniz) 
2. Lua Culpada (Antônio de Amorim Diniz)
1931 - 78 RPM (Parlophon 13.361)
1. Canção Dos Infelizes (Donga / Luis Peixoto) 
2. Fado Da Bossa (Augusto Calheiros / Donga)
JAN/1932 - 78 RPM (Victor 33.509)
1. Já Andei (João da Bahiana / Pixinguinha / Donga) - com Grupo da Velha Guarda e Francisco Sena
2. Que Querê (Donga / Pixinguinha / João da Bahiana) - com Grupo da Velha Guarda e Francisco Sena