NEIDE MARTINS 
FOTOS   


    Neide Martins iniciou sua carreira em 1937, gravando pela Odeon a marcha "Pára com isso" e o samba "Vem cá, Bitu", ambos de Saint Clair Sena, com acompanhamento da orquestra Odeon. No mesmo ano, dividiu dois discos com o grupo Diabos do Céu. No primeiro gravou o frevo-canção "Que fim você levou?", de Nelson Ferreira e no segundo o frevo-canção "Arlequim", também de Nelson Ferreira, com acompanhamento dos Diabos do Céu. Em 1938, gravou a marcha "Nossa terra!", de Saint Clair Sena e o samba "Não sorri assim pra mim", do mesmo autor e de Antônio Almeida. Em 1939, gravou as marchas "Uma estrela brilhou", de Donga e Sá Róris e "Eterno sonho", de Donga e Milton Amaral. No mesmo ano, gravou pela Colúmbia, em dueto com Arnaldo Amaral o fox "Era uma vez...", de João de Barro e Alberto Ribeiro.

DISCOGRAFIA

JAN/1937 - 78 RPM (Victor)
1. Que Fim Você Levou (Nelson Ferreira) - Neide Martins
2. Diabo Solto (Levino Ferreira) - Diabos do Céu
JAN/1937 - 78 RPM (Victor)
1. Arlequim (Nelson Ferreira) - Neide Martins
2. Não Há Mais Vale (José Gonçalves "Zumba") - Diabos do Céu
DEZ/1937 - 78 RPM (Odeon)
1. Pára Com Isso (Saint-Clair Sena) 
2. Vem Cá Bitu (Saint-Clair Sena)
SET/1938 - 78 RPM (Odeon)
1. Nossa Terra (Saint-Clair Sena) 
2. Não Sorri Assim Pra Mim (Saint-Clair Sena / Antônio Almeida)
JAN/1939 - 78 RPM (Odeon)
1. Uma Estrela Brilhou (Sá Róris / Donga) 
2. Eterno Sonho (Donga / Milton Amaral)
JUN/1939 - 78 RPM (Columbia)
1. Era Uma Vez (Alberto Ribeiro / João de Barro) - Neide Martins e Arnaldo Amaral
2. Sonho De Amor Não Morre (Alberto Ribeiro / Alcyr Pires Vermelho) - Arnaldo Amaral

*imagem arquivo Nirez, gentilmente cedida por Marcelo Bonavides