MADELOU ASSIS     
(Maria de Lourdes de Assis)
1915, Rio de Janeiro RJ - 1956, Rio de Janeiro RJ
FOTOS
VÍDEOS


    Membro da sociedade carioca, Madelou Assis esteve em atividade com relativo sucesso no início da década de 30. Em 1932, com apenas 16 anos, iniciou a carreira, atuando em um cinema como apresentadora de um espetáculo no qual se apresentaram alguns artistas de rádio da época. Pouco depois atuou em um espetáculo semelhante em um cinema rival, o que resultou em um problema com os empresários que a levaram para a primeira apresentação. Esta confusão foi parar nos jornais, o que fez com que um juiz proibisse a cantora de realizar apresentações em público, uma vez que era menor de idade. De fato Madelou não tinha pedido a permissão dos pais para se apresentar nos tais espetáculos, tendo um procurador assinado os contratos. No entanto a cantora conseguiu continuar se apresentando e o burburinho causado pelos jornais atraiu a atenção do público e foi suficiente para que os espetáculos seguintes fossem enormes sucessos de público. No mesmo ano começou a se apresentar na Rádio Mayrink Veiga, contando com o apoio de Carmen Miranda, que embora ainda iniciante, já era uma artista famosa, e permaneceu na Mayrink por cerca de dois anos. Ainda em 1932 gravou pela gravadora Colúmbia o primeiro disco, com a marcha "Não lhe faço mais carinhos" e o samba "Não foi despreso" (ambos de de J. Cabral e Dan Málio Carneiro). No mesmo ano foi destacada pela revista Fon-Fon, que se refere a ela como "figurinha galante da nossa alta sociedade, tem voz suavissima que aumenta o encanto de sua graça pessoal" e, em outro trecho como "Artista de fina sensibilidade, a linda patrícia vem, de há muito, enchendo de harmonia nossos salões e as nossas estações de Rádio, cantando e encantando com aquela fascinação que palpita e vibra nos seus olhos de boneca". No ano seguinte se apresentou em São Paulo na Rádio Record, ao lado do compositor e radialista Valdo Abreu (seu futuro marido) e de uma cantora de tangos de nome Lely Morel. Passou a se apresentar frequentemente no "Explêndido Programa", apresentado por Valdo Abreu na Rádio Mayrink Veiga. Se apresentou em diversos espetáculos de variedades, atuando ao lado de nomes como Carmen Miranda, Sílvio Caldas, Almirante, Francisco Alves, Patrício teixeira, Mário Reis, Laura Suarez, Aurora Miranda, Arnaldo Pescuma, Luiz Barbosa, Custódio Mesquita, João Petra de Barros, Noel Rosa, Irmãos Tapajós, Pixinguinha, Bando da Lua, Moreira da Silva, Aracy de Almeida, entre outros. Em 1934 ficou em segundo lugar num concurso realizado pelo jornal "A Hora" para eleger o "príncipe" e a "princesa" do elenco de artistas do Rio de Janeiro. Casou-se com Valdo de Abreu no ano de 1934, indo pouco depois acompanhando Aurora e Carmen Miranda em uma temporada na Rádio Belgrano de Buenos Aires. Nos dois anos seguintes atuou nas Rádios Cruzeiro do Sul e Cosmos, em São Paulo. Em 1936 retornou ao Rio de Janeiro, se apresentando pela Rádio Cruzeiro do Sul carioca. Nesse ano se afastou da vida artística. Durante a carreira, Madelou Assis, cujo nome artístico era grafado às vezes como "Madelú" e às vezes "de Assis", gravou apenas 5 discos, dos quais se destacam suas gravações em dueto com Francisco Alves.

DISCOGRAFIA

1932 - Columbia 22.154 (78 RPM)
1. Não Lhe Faço Mais Carinhos (J. Cabral / Dan Malio Carneiro)
2. Não Foi Desprezo (J. Cabral / Dan Malio Carneiro)
1932 - Columbia (78 RPM)
1. Era uma vez (Custódio Mesquita)
2. Papai Noel, felicidade (Custódio Mesquita)
1933 - Odeon 11.079 (78 RPM)
1. Brinca Coração (Benedito Lacerda) - com Francisco Alves
2. Estrela Da Manhã (Ary Barroso / Noel Rosa) - com Francisco Alves
1933 - Victor 33.689 (78 RPM)
1. Ciúme (Valdo Abreu)
2. Praia dos Beijos (Valdo Abreu)
1934 - Odeon 11.090 (78 RPM)
1. Tipo 7 (Antônio Nássara / Alberto Ribeiro) Intérprete: Francisco Alves
2. A Lua Veio Ver (Irmãos Valença / Adpt. Ary Barroso) Intérpretes: Francisco Alves e Madelou Assis