JÚLIA MARTINS
c.1890  Rio de Janeiro, RJ - c.1936  Rio de Janeiro, RJ
FOTOS
 

    Uma das cantoras pioneiras nas gravações de discos no Brasil. Atriz do teatro de revista, foi contratada pela Victor Record em 1912, estreando em discos cantando em duetos com o intérprete João Barros. Em 1913, foi contratada pela Odeon. Em janeiro desse ano gravou em dueto com Eduardo das Neves "A cocote e o marchante", do próprio Eduardo das Neves. Em seguida, gravou a canção "Caraboo", composição do norte americano Sam Marshal e que fez enorme sucesso na versão de M. Albuquerque no carnaval do ano anterior.  No mesmo ano, gravou o lundu "A flor da pitangueira", música que cantava na revista "República do amor", um destaque de seu repertório teatral. Também em 1913, gravou com o cantor Bahiano, os duetos "A vassourinha" (Felipe Duarte e Luiz Filgueira), e "O engraxate" (B. Esfolado), "O retrato e a flor", e "A cigana e o feiticeiro", de autores desconhecidos, e de autoria do próprio Bahiano as faixas "Cidade Nova e Saco do Alferes", "Ai que gostos", e "O vagabundo e a mulata". Também gravou "A viola está magoada", que contou com acompanhamento do Grupo da Casa Edison e que aparece no selo com a denominação de "samba", quatro anos antes da gravação de "Pelo telefone", que ficou consagrada como o primeiro samba gravado, talvez pelo sucesso maior. Ainda desse ano, é sua gravação da cançoneta "A mulatinha", de Chiquinha Gonzaga e Patrocínio Filho, e com Eduardo das Neves, o batuque sertanejo "Cabocla de Caxangá", de Catulo da Paixão Cearense, que caracterizou pela primeira vez uma composição designada como de cunho regional. Ainda em 1913, atuou na revista "Chegou o Neves", juntamente com Ciniro Polônio, Brandão Velho, e Mercedes Vila. Foi nessa revista, que Pixinguinha, então com apenas 16 anos estreou nos palcos. Por volta de 1914, gravou em dueto com o tenor Tomaz de Souza "A vassourinha", de Felipe Duarte e Luiz Filgueira. Gravou um total de vinte discos.

DISCOGRAFIA

1909 - Victor 98.784 (78 RPM) 
1. Brasileiro pancrácio - com João Barros
1909 - Victor 98.786 (78 RPM)
1. Os paraguas - com João Barros
1909 - Victor 98.788 (78 RPM)
1- A aliança (Eustórgio Wanderley) - com João Barros
1909 - Victor 98.814 (78 RPM)
1- Pst, pst - com João Barros
1909 - Victor 98.827 (78 RPM)
1- A despedida - com João Barros
1909 - Victor 98.857 (78 RPM)
1- Ali...a preta (Luis Filgueiras) - com João Barros
1909 - Victor 98.908 (78 RPM)
1. A Capital Federal (Nicolino Milano) - com João Barros
1910 - Brazil 70.139 (78 RPM)
1. O Chico
1913 - Odeon 120.309 (78 RPM)
1. A cocote e o marchante (Eduardo das Neves) - com Eduardo das Neves
1913 - Odeon 120375 (78 RPM)
1. A vassourinha (Felipe Duarte / Luis Filgueira) - com Bahiano
1913 - Odeon 120376 - 78 RPM 
1. O engraxate (B. Esfolado) - com Bahiano
1913 - Odeon 120.378 (78 RPM)
1. A mulatinha (Patrocínio Filho / Chiquinha Gonzaga)
1913 - Odeon 120.436 (78 RPM)
1. O retrato e a flor - com Bahiano
1913 - Odeon 120.438 (78 RPM)
1. Cidade Nova e Saco do Alferes - com Bahiano
1913 - Odeon 120.439 (78 RPM)
1. Ai que gostos - com Bahiano
1913 - Odeon 120.440 (78 RPM)
1. O vagabundo e a mulata - com Bahiano
1913 - Odeon 120.441 (78 RPM)
1. A cigana e o feiticeiro - com Bahiano
1913 - Odeon 120.445 (78 RPM)
1. A viola está magoada - com Bahiano e Grupo da Casa Edson
1913 - Odeon 120.521 (78 RPM)
1. Caboca de Caxangá (João Pernambuco / Catulo da Paixão Cearense) - com Eduardo das Neves e Bahiano
1913 - Odeon 137.063 (78 RPM)
1. Minha Caraboo (Alfredo Albuquerque "p. Dante" / Sam Marshall)
1913 - Odeon 137.064 (78 RPM)
1. A flor da pitangueira (Luiz Jr.)
1914 - Phoenix 70.701 (78 RPM) 
1. A vassourinha (Felipe Duarte / Luis Filgueira) - com Tomaz de Souza

fotografia Júlia Martins gentilmente cedida por Marcelo Bonavides