DULCE QUENTAL
(Dulce Maria Rossi Quental)
Rio de Janeiro - RJ 13/04/1960
FOTOS
VÍDEOS


    Seu pai gostava de jazz, e ela cresceu ouvindo os grandes nomes desse gênero musical, como Billie Holiday, Sarah Vaughan, Miles David e Ella Fitzgerald. Aos 16 anos, começou a estudar saxofone com Zé Carlos e Cacau. Mas desistiu, indo estudar canto. Em 1979 entrou para a faculdade de Ciências Sociais da UFRJ. No ano seguinte, trancou matrícula e foi morar na França. Em 1981, retornou ao Brasil e entrou na faculdade de Filosofia, interrompida em 1983, quando passou a integrar o a banda feminina de rock new-wave Sempre Livre, que tinha como membros além dela, Lucia Lopes (bateria), Flavia Cavaca (baixo), Lelete (teclado) e Márcia (guitarra). Em 1984, o grupo assinou contrato com a RCA Victor, lançando o seu primeiro disco, "Avião de Combate", produzido por Ruban, o mesmo produtor das Frenéticas, impulsionado pelo grande sucesso da música "Eu Sou Free" (Ruban/ Patricia Travassos), até hoje o maior sucesso na voz de Dulce Quental, além de outros dois sucessos "Esse seu jeito sexy de ser" e "Fui eu", ambas de Herbert Vianna. No ano seguinte, Dulce Quental deixou o grupo para seguir carreira solo. Em 1985, gravou "Délica", seu primeiro disco solo, classificado pela crítica como "new bossa", estilo que mistura pop, jazz e bossa nova. A repercussão foi pequena, por causa do caráter "difícil", conceitual e pouco comercial do repertório, apesar da canção "Natureza humana (Human nature)" (J. Bettis - S. Porcaro - Vrs. Waly Salomão e Jorge Salomão), versão de um sucesso de Michael Jackson, ter tido certa execução. Em 1987 lançou o LP "Voz azul", produzido por Herbert Vianna, Celso Fonseca e Mayrton Bahia, com as músicas "Onde Mora o Amor" (Arnaldo Antunes/ Roberto Frejat), "Numa Praia do Brasil" (Arrigo Barnabé), "Mulher Dividida" (Itamar Assumpção), "Inocência do Prazer" (Cazuza/ George Israel) e os sucessos "Caleidoscópio" (Herbert Vianna) e "Terra de Gigantes" (Humberto Gessinger). Em 1988 gravou outro disco, "Dulce Quental". Nos anos seguintes se afastou dos estúdios, mas continuou compondo, tendo músicas gravadas por Barão Vermelho, Ana Carolina, Cidade Negra, Nico Rezende, Leila Pinheiro, Capital Inicial e Daúde. Em 1991 casou-se com o produtor artístico Carlos Alberto Sion, com quem teve uma filha, Alice, em 1996. Em meados dos anos 90, voltou à faculdade e cursou Jornalismo na Faculdade da Cidade. Como jornalista fez resenhas de livros para o Caderno Idéias do Jornal do Brasil e artigos para a Revista de Estudos Femininos da UFRJ. Em 2001, separou-se do marido. Em 2005 voltou à gravar e lançou o CD "Beleza Roubada".

DISCOGRAFIA


1983 - COMPACTO (Epic/CBS) - com Sempre Livre
1. Eu Sou Free (Patrícia Travassos / Ruban)
2. Amor Fatal (Luis Mendes Júnior / Gastão Lamounier)

1984 - Avião de combate (Epic/CBS) - com Sempre Livre
1. Avião de Combate (Nada Pode Deter Uma Mulher Feliz) (Joe Euthanazia / Ronaldo Santos)
2. Alta Tensão (Rafael Reis / Fernando Morais)
3. Esse Seu Jeito Sexy de Ser (Patrícia Travassos / Evandro Mesquita / Lui)
4. Fui Eu (Herbert Viana)
5. Volta Pra Mim (Lelete Pantoja / Dulce Quental)
6. Ele e Eu (Marcinha / Lelete Pantoja / Flávia Cavaca / Dulce Quental / Lúcia Lopes)
7. Mapa da Mina (Patrícia Travassos / Ruban)
8. Garota Normal (Patrícia Travassos / Ruban)
9. Eu Sou Free (Patrícia Travassos / Ruban)
10. Amor Fatal (Luis Mendes Júnior / Gastão Lamounier)

1984 - COMPACTO (Epic/CBS) - com Sempre Livre
1. Esse Seu Jeito Sexy de Ser (Patrícia Travassos / Evandro Mesquita / Lui)
2. Volta Pra Mim (Lelete Pantoja / Dulce Quental)

1986 - Délica (EMI-Odeon)
1. Délica (Dulce Quental / Beti Niemeyer / Cláudia Niemeyer)
2. Garganta (Flávio Murrah / Dulce Quental)
3. Pros Que Estão Em Casa (Flávio Murrah / Rômulo Portela)
4. Natureza Humana (Human Nature) (S. Porcaro / J. Bettis / Vrs. Jorge Salomão / Vrs. Waly Salomão)
5. Tudo É Mais (Aldo Meolla) Participação: Cazuza
6. Diferentes (Branco Mello / Ciro Pessoa)
7. Pra Nós (Aldo Meolla)
8. Delicado Demais (Dulce Quental)
9. Bossa do Bayard (Dulce Quental)
10. A Bela Morte (Beti Niemeyer / Dulce Quental)

1987 - Voz azul (EMI-Odeon)
1. Voz Azul (Dulce Quental)
2. Não Atirem no Pianista (Dulce Quental)
3. Stoned (Celso Fonseca / Dulce Quental)
4. Correspondênce (Dulce Quental)
5. Escuro Amor (Ciro Pessoa)
6. Caleidoscópio (Herbert Viana)
7. Viver (Beto Fae / Aldo Meolla)
8. Esta Gravação Se Auto-destruirá Em 5 Segundos (Marcelo D. Ramer)
9. Colírio (Dulce Quental)
10. Luz e Sombra (Faces) (Dulce Quental)

1988 - Dulce Quental (EMI-Odeon)
1. Onde Mora o Amor (Roberto Frejat / Arnaldo Antunes)
2. Qualquer Lugar do Mundo (Beto Fae / Aldo Meolla)
3. Mulher Dividida (Itamar Assumpção)
4. Terra de Gigantes (Humberto Gessinger)
5. Numa Praia do Brasil (Arrigo Barnabé) - com Arrigo Barnabé
6. Quinze Minutos (Cecelo)
7. Passional (Dino Vicente / Dulce Quental)
8. A Inocência do Prazer (George Israel / Cazuza)
9. Garota (Luis Dolhnikoff / João Carlos Carvalho)
10. Dias de Amor (Dino Vicente / Dulce Quental)
11. O Ieê (Dulce Quental)

2004 - Beleza roubada (Sony Music)
1. Capuccino (Zélia Duncan / Dulce Quental)
2. Beleza Roubada (Dulce Quental)
3. Bordados De Psicodélia (Moska / Dulce Quental)
4. No Topo Do Mundo (Roberto Frejat / Dulce Quental)
5. Quando (Dulce Quental)
6. Ipanema (Dulce Quental / Thiago Trajano)
7. Fino E Invisível (Moska / Dulce Quental)
8. Conversa Informal (Dulce Quental)
9. Nova Idade Das Trevas (Dulce Quental)
10. Conferências Sobre O Nada (Roberto Frejat / Dulce Quental / Allen Ginsberg)
11. O Escritor (Dulce Quental)
12. Receita De Felicidade (Dulce Quental)

2016 - Música E Maresia - Gravações Inéditas 1994 (Cafezinho Edições) *
1. Ao Som De Um Tambor
2. Eternamente No Coração
3. Antes De Acordar
4. Guarda Essa Canção
5. Vida Frágil
6. Música E Maresia
7. Púrpura
8. Dia A Dia
9. Girassóis Azuis
10. Último Vagão De Trem
11. Amor Perigoso Amor

* CD lançado em formato digital