CARMEN DÉA
(Carmen Déa Santos Braga)
1/9/1934  Vitória, ES
FOTOS 

    Desde pequena cantava em festas familiares incentivada pela família. Aos cinco anos, já cantava em programas infantis na Rádio Canaan, de Vitória. Seu repertório incluía músicas de Ary Barroso. Mudou-se com a família para o Rio de Janeiro aos 13 anos. Participou de vários programas de calouros na Rádio Nacional e Cruzeiro do Sul, no Rio de Janeiro. No início da carreira, formou dupla com sua irmã, que ficou conhecida como Irmãs Braga. Aos 18 anos, passou a atuar como "crooner" do Conjunto Bandeirantes. Em 1950, passou a integrar o conjunto vocal As Três Marias, substituindo Regina Célia, com o qual gravou uma série de LPs só de baiões (Musidisc). Com As Três Marias, trabalhou na Rádio Tupi. Excursionou pelo Brasil com a orquestra de Ary Barroso na década de 1950. Em 1952, participou com o grupo do filme "Era uma vez um vagabundo", de Luís de Barros. Em 1953, saiu do grupo e seguiu carreira solo. Foi convidada por Sivan Castelo Neto para gravar vários "jingles" e assinou contrato, por um ano, com a Rádio Tupi. Gravou o primeiro disco pela etiqueta Mocambo em 1955, com os sambas canção "Não importa", de Raimundo Froler e "Só resta a esperança", de Braga Júnior. No mesmo ano, gravou mais quatro discos pela Mocambo interpretando, entre outras músicas, o samba-fox "Agora?" e o samba-canção "A carne", ambas do compositor potiguar Hianto de Almeida e o samba "Você se enganou", de Erasmo Silva e Jorge de Castro. Em 1956, gravou pela Polydor o samba "Pra que falar", de Nazareno de Brito e Fernando César e o fox "Zuque zuque", de José Maria de Abreu e Luís Peixoto. No mesmo ano, deixou ainda registrados na Mocambo mais três discos interpretando, entre outras, o beguine "Horas esquecidas", de Fernando César e Nazareno de Brito, o samba "Camaleão", de Ary Barroso e a polquinha "Tá", de Hianto de Almeida e Sebastião Barros. Em 1957, gravou, ainda na Polydor, o fox-trot "Viver é bom", de Haroldo Eiras e Bruno Marnet e o samba-canção "Noite escura", de V. de Andrade. Gravou mais de dez discos, na Mocambo e Polydor e um LP solo intitulado "Eu, você e mais ninguém", pela Polydor, no fim da década de 1950.

DISCOGRAFIA

1955 - 78 RPM (Mocambo)
1. Não Importa (Raimundo Archer) 
2. Só Resta A Esperança (Braga Jr.)
1955 - 78 RPM (Mocambo)
1. Sei Errar Sozinho (Jorge Gonçalves / Sebastião Gomes) 
2. Idéia De Jerico (Haroldo Lobo / David Nasser)
1955 - 78 RPM (Mocambo)
1. Mãos Vazias (Jeanette Adib) 
2. Somente Tu (Celso Teixeira / Murilo Loures / Harry Marques)
1955 - 78 RPM (Mocambo)
1. Vem Amor (Haroldo de Almeida / Hianto de Almeida) 
2. Você Se Enganou (Erasmo Silva / Jorge de Castro)
1955 - 78 RPM (Mocambo)
1. Agora (Hianto de Almeida) 
2. A Carne (Hianto de Almeida)
1956 - 78 RPM (Polydor)
1. Pra Que Falar (Fernando César / Nazareno de Brito) 
2. Zuque Zuque (Luis Peixoto / José Maria de Abreu)
1956 - 78 RPM (Polydor)
1. Mambo bacan (Francisco Giordano / Roman Vatro / Juraci Mendes)
2. O passo do gato (Edson Borges / Enrico Simonetti)
1956 - 78 RPM (Mocambo)
1. O Ritmo Cha Cha (me Lo Dijo Adela) (Portal / Thorn / Vrs. Ghiaroni) 
2. Tá (Sebastião Barros / Hianto de Almeida)
1956 - 78 RPM (Mocambo)
1. Horas Esquecidas (Nazareno de Brito / Fernando César) 
2. Volta Outra Vez (William Leon / Sílvia Silva)
1956 - 78 RPM (Mocambo)
1. Graças A Deus (Fernando César) 
2. Camaleão (Ary Barroso)
1956 - 78 RPM (Polydor)
1. Como É Bom Dançar (le Piano Du Pauvre) (Léo Ferré / Vrs. Nelson Figueiredo) 
2. Vou Pensar No Seu Caso (Chico Anísio / Hianto de Almeida)
1956 - 78 RPM (Polydor)
1. O Relógio E O Amor (Renato Araújo / Castro Perret) 
2. Galã De Gafieira (José Batista)
1957 - 78 RPM (Polydor)
1. Viver É Bom (Haroldo Eiras / Bruno Marnet) 
2. Noite Escura (V. Andrade)

1958 - Eu, Você e Mais Ninguém (Polydor)
1. Passo do Gato (Édson Borges / Henrique Simonetti)
2. Mambo Bacan (F. Giordano / R. Vatro / Vrs. Juraci Mendes)
3. Galã de Gafieira (José Batista)
4. O Relógio e o Coração (Castro Perret / Renato Araújo)
5. Pra Que Falar (Nazareno de Brito / Fernando César)
6. Zuque-zuque (José Maria de Abreu / Luis Peixoto)
7. Como É Bom Dançar (L. Ferré / Vrs. Nelson Figueiredo)
8. Vou Pensar no Seu Caso (Hianto de Almeida / Chico Anísio)